Policia escocesa nega que JK Rowling será presa


J.K. Rowling, a renomada criadora do universo "Harry Potter", enfrentou uma tempestade de opiniões após expressar suas críticas a uma controversa legislação escocesa nas redes sociais. A lei, que visa ampliar a proteção às pessoas transgênero, foi por ela considerada uma ameaça à liberdade de expressão. A polícia escocesa, contudo, confirmou que as declarações da escritora não configuram crime, e portanto, não haverá consequências legais.

A nova lei, que já está em vigor, intensifica o combate ao discurso de ódio e inclui medidas específicas contra a transfobia. No entanto, Rowling, residente de Edimburgo, alertou para o que ela vê como um risco: o silenciamento de vozes críticas aos perigos potenciais da eliminação de espaços exclusivos para mulheres. Em uma série de tuítes, ela argumentou que a precisão na descrição do sexo biológico não deveria ser criminalizada, e desafiou as autoridades a detê-la se suas palavras fossem interpretadas como infração à nova lei.

A resposta da polícia veio rápida e clara: as palavras de Rowling estão fora do alcance da criminalidade. Com isso, a autora celebrou a decisão, esperando que sirva de garantia para todas as mulheres na Escócia que compartilham de sua preocupação com a definição e a importância do sexo biológico, e que a justiça seja igual para todas, independentemente de sua condição social ou financeira.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem