Tudo sobre a Maldição da Morte (Avada Kedavra)

Avada Kedavra, conhecida como a Maldição da Morte, é um dos feitiços mais temidos e poderosos do universo de Harry Potter. 

A Maldição da Morte, com o encantamento Avada Kedavra, é uma das três Maldições Imperdoáveis no mundo bruxo. Foi criada durante a Idade Média por bruxos das trevas como um meio eficaz de assassinar oponentes em duelos. Em 1717, foi classificada como imperdoável, e seu uso passou a ser punido com prisão perpétua em Azkaban.

Quando lançada com sucesso, a maldição causa morte instantânea e indolor, sem deixar marcas de violência no corpo. A maldição é acompanhada por um relâmpago de luz verde e um som de algo vasto e invisível voando pelo ar.

A única defesa conhecida contra Avada Kedavra é a Proteção Sacrificial, que usa o poder do amor. Outras formas de escapar incluem desviar do feixe de luz verde ou bloqueá-lo com uma barreira física¹
. A maldição é normalmente impossível de bloquear com feitiços de escudo.

Avada Kedavra é notoriamente associada a Lord Voldemort, que a usou para cometer inúmeros assassinatos. Durante a Primeira Guerra Bruxa, as Maldições Imperdoáveis foram temporariamente legalizadas para uso pelos Aurores contra os Comensais da Morte.

A frase "Avada Kedavra" deriva do aramaico e significa "Eu vou destruir enquanto falo". Há especulações de que as palavras foram escolhidas por sua semelhança com o encantamento muggle "abra cadabra". 

Quem lançou Avada Kedavra em Harry pela primeira vez?

A maldição Avada Kedavra foi lançada em Harry Potter pela primeira vez por Lord Voldemort quando Harry era apenas um bebê. Este evento trágico ocorreu na casa dos Potter em Godric's Hollow. Voldemort tentou matar Harry após assassinar seus pais, Tiago e Lilian Potter, mas a maldição falhou devido ao sacrifício protetor de Lilian, resultando em sua própria queda temporária.

Como Harry Potter se defendeu contra Avada Kedavra? 

Harry Potter sobreviveu à maldição Avada Kedavra em algumas ocasiões notáveis. A primeira vez foi quando ele era um bebê, e sua mãe, Lilian Potter, sacrificou sua vida por ele. Esse ato de amor puro criou uma proteção mágica que fez com que a maldição rebatesse em Voldemort.

Em outras situações, a sobrevivência de Harry foi devido a circunstâncias excepcionais. Por exemplo, durante a batalha no Ministério da Magia, Dumbledore usou estátuas animadas para bloquear fisicamente a maldição lançada por Voldemort. Além disso, a conexão única entre a varinha de Harry e a de Voldemort resultou em efeitos incomuns quando as varinhas foram forçadas a duelar, como visto no cemitério após a ressurreição de Voldemort.

Portanto, embora a maldição Avada Kedavra seja conhecida por ser inbloqueável por meios mágicos convencionais, existem casos raros e específicos onde ela pode ser evitada ou seu efeito pode ser anulado. 

Por que Harry Potter é o único sobrevivente da maldição?

Harry Potter é conhecido como o único sobrevivente da maldição Avada Kedavra por razões muito específicas e únicas. Quando Voldemort tentou matá-lo quando era bebê, a mãe de Harry, Lilian Potter, se sacrificou para salvá-lo. Esse sacrifício criou uma proteção mágica de amor que fez com que a maldição rebatesse em Voldemort, deixando Harry apenas com uma cicatriz e sem danos maiores.

Além disso, durante o confronto final na Floresta Proibida, a parte da alma de Voldemort que residia dentro de Harry, tornando-o uma Horcrux involuntária, foi destruída pela maldição, mas não o próprio Harry. Isso ocorreu porque Voldemort usou o sangue de Harry para reconstruir seu corpo, inadvertidamente mantendo a proteção mágica de Lilian viva dentro de si. Assim, quando Voldemort lançou Avada Kedavra, ele destruiu apenas a conexão entre sua própria alma fragmentada e Harry, mas não conseguiu matar Harry.

Esses eventos extraordinários fazem de Harry um caso único na história do mundo bruxo, marcando-o como "O Menino que Sobreviveu". 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem