Série de TV de 'Harry Potter' avança no Max: tudo o que sabemos sobre o elenco, data de lançamento, o que JK Rowling diz, Animais Fantásticos e muito mais


No seu evento de streaming Max em abril passado, a Warner Bros. Discovery confirmou que uma nova era está chegando para os fãs de Harry Potter. A empresa anunciou uma série de TV baseada em todos os sete livros sobre o menino bruxo escritos por J.K. Rowling. Veja abaixo as respostas mais atuais para as questões mais importantes sobre o projeto.

Qual é o tema da série de TV Harry Potter?

“Esta nova série Max Original irá mergulhar profundamente em cada um dos livros icônicos que os fãs continuaram a desfrutar durante todos esses anos”, disse Casey Bloys, presidente e CEO da HBO & Max Content sobre o projeto, que ele também garantiu aos fãs ser “uma adaptação fiel”. 

Os primeiros relatórios indicavam que cada temporada da série seria baseada em um livro da série de livros Harry Potter, que consiste em sete romances, mas Bloys disse que o projeto duraria “10 anos consecutivos”, o que desafiaria a afirmação de 1 temporada por livro. Para aqueles que pensam que Animais Fantásticos poderiam ser aproveitados para fornecer 10 temporadas em 10 anos, os chefes do WBD disseram especificamente durante o anúncio que FB não fará parte da série.

Seja qual for o caso, Bloys prometeu que, à medida que a empresa embarca em sua nova aventura de Harry Potter, “faremos isso com todo o cuidado e habilidade que esta franquia merece”. 

Demorou um pouco, já que o anúncio inicial foi em abril de 2023, mas a Warner Bros. convidou um seleto grupo de criativos para apresentar ideias sobre o que a série poderia ser.

Martha Hillier, Kathleen Jordan, Tom Moran e Michael Lesslie estão entre aqueles que estão apresentando suas visões ao serviço de streaming e à Warner Bros. Television, segundo fontes. É uma mistura interessante de britânicos e americanos, a maioria com alguma experiência em trabalhar com streamers e muitos com projetos no espaço de ficção científica/fantasia.

O grupo de escritores foi contratado pela Max para criar propostas para uma série que refletisse sua visão sobre o universo de Harry Potter.

Martha Hillier é uma escritora britânica que foi produtora executiva da série de fantasia da Netflix e da BBC, The Last Kingdom, bem como do filme derivado The Last Kingdom: Seven Kings Must Die. Ela começou em novelas britânicas, como EastEnders e Holby City.

Kathleen Jordan criou a série Teenage Bounty Hunters da Netflix. Jordan também está trabalhando com o streamer Orange Is The New Black em The Decameron, que recebeu um pedido de série em 2022.

Tom Moran é um escritor britânico que criou a série da Amazon The Devil's Hour, estrelada por Peter Capaldi. Ele também trabalhou na série de ficção científica da Amazon, The Feed, e no drama policial de Rob Lowe, Wild Bill.

Michael Lesslie escreveu Jogos Vorazes: A cantiga dos Pássaros e das serpentes e foi produtor executivo do drama de John Le Carré da AMC, The Little Drummer Girl, estrelado por Florence Pugh, Michael Shannon e Alexander Skarsgård. Em certo momento, ele esteve envolvido na reinicialização de Battlestar Galactica pelo Peacock.

Fontes disseram que as principais escolhas avançarão para a próxima etapa no Reino Unido, podendo se encontrar com a própria Rowling.

Quando a série Harry Potter será lançada?

Espera-se que a série vá ao ar em 2025/26. E dado que a Warner Bros. Discovery embarcou no ano passado em uma reformulação de alto nível em seu serviço de streaming, até mesmo mudando seu nome de HBO Max para apenas Max, é uma boa aposta que uma empresa quer que Harry Potter lance seu feitiço sobre os telespectadores em breve.

O mesmo vale para J. K. Rowling, cuja produtora registrou uma queda de 74% nos lucros em 2022. Isso se recuperou um pouco depois que o versão teatral de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada provou ser um prazer para o público pós-pandemia. O autor recebeu um salário de US$ 10,5 milhões em 2023.

O sucesso do espetáculo demonstra que ainda há apetite por conteúdo relacionado a Hogwarts. Da mesma forma, o grande sucesso que é Hogwarts Legacy, que se tornou o videogame mais vendido de 2023, vendendo 22 milhões de unidades. (Isso é fantástico, mas, para comparação, os sete livros mais vendidos de Harry Potter, de Rowling, venderam 600 milhões de cópias em todo o mundo.)

Em uma conferência da Goldman Sachs esta semana, o CEO da Warner Bros. Discovery, David Zaslav, apontou explicitamente a necessidade de mais magia de Hogwarts. Ignorando os filmes de Animais Fantásticos sem Harry, o CEO insistiu que o menino bruxo apresenta uma grande oportunidade, alegando que a propriedade intelectual tem sido subutilizada ultimamente.

“Não faz nada com Harry Potter há mais de uma década”, disse ele, antes de observar que quando se examina o desempenho da Warner Bros. nos últimos 20 anos levando em conta seus três grandes – Potter, Senhor dos Anéis e DC – o desempenho da empresa é “relativamente estável”.

Zaslav chamou esse tipo de IP caro de “um dos grandes diferenciais desta empresa”. E ele parece contar com ele para fazer uma grande diferença.

“Quando você coloca essas franquias, é o estúdio com melhor desempenho do mundo. Precisamos mobilizar nosso melhor capital e precisamos fazê-lo com as melhores pessoas criativas do mundo”, disse ele.

Onde assistir? 

É claro que a série estará disponível no Max assim que estiver pronta. O serviço ainda não chegou no Brasil, nos Estados ele tem três níveis de preços: Max Ad Light, que custa US$ 9,99 por mês ou US$ 99,99 por ano e permite duas transmissões simultâneas, Max Ad Free, que custará US$ 15,99 por mês ou US$ 149,99 por ano e também permitirá duas transmissões simultâneas, e Max Ultimate Ad Free, que custa US$ 19,99 por mês ou US$ 199,99 por ano e permite acesso a quatro streams simultâneos. 

Além disso, outra adaptação literária épica atual da WBD, “House of the Dragon”, está disponível não apenas no serviço de streaming da empresa, mas também para assinantes de TV a cabo na HBO. A série Potter seguirá o exemplo, segundo os executivos. Portanto, se você tiver HBO por meio de seu provedor de TV a cabo, está tudo pronto.

Se você estiver no Canadá, a WBD fechou um acordo de licenciamento plurianual com a Crave para conteúdos como “Harry Potter”, “Game of Thrones”, “DC Universe” e “HBO”.

Quais atores estão estrelando a série? Alguma das estrelas originais de Harry Potter vai retornar?

Haverá novos atores interpretando os personagens principais da série, mas é improvável que alguém tenha sido escalado ainda. Na verdade, a busca de Max no início deste ano centrou-se em encontrar um showrunner.

“Temos tentado estar muito atentos”, disse Bloys. “Não fomos às agências. Temos nosso próprio processo interno onde pensamos nas pessoas, mas não queríamos sair para o mundo. Agora que a notícia está aí… vamos começar a trabalhar.”

Quanto ao retorno de qualquer uma das estrelas da franquia de filmes – como Daniel Radcliffe, Emma Watson ou Rupert Grint – nunca diga nunca. Certamente seria um impulso de relações públicas para a série e, embora novos atores sejam escalados para os papéis principais, sempre há flashforwards ou a trama do multiverso atualmente em voga que poderia criar espaço para rostos mais familiares na série.

Mas Daniel Radcliffe disse que não tem problema em ficar de fora. 

“Eu acho que eles querem fazer algo novo e diferente e tenho certeza de que os criadores vão querer colocar o seu toque pessoal nisso e provavelmente não vão se preocupar em encaixar o antigo Harry nessa história”, disse Radcliffe ao ComicBook.com . “Então, eu não estou interessado nisso de jeito nenhum. Mas eu desejo a eles, claro, todo o sucesso do mundo e estou feliz por essa chama ser transmitida. Mas eu não acho que eu precise estar lá fisicamente.”

Outro veterano de Potter que deve ficar de fora é David Yates, que dirigiu os quatro últimos filmes, Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007), Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2009) e Relíquias da Morte: Parte Um e Dois (2010 e 2011). Além disso, Yates comandou a trilogia Animais Fantásticos , derivada de Potter . Ele diz que não houve nenhuma conversa sobre sua participação na série. E ele parece estar tranquilo com isso.

“Muito amor e um time maravilhoso com quem trabalhei”, disse Yates ao Deadline . “Mas não falamos desde que acabamos.”

“É hora de ‘Dar um tempo e encerrar por enquanto’”, disse ele sobre a franquia Potter .

“Eu nunca diria nunca, mas estou animado para seguir em frente”, disse ele.

JK Rowling terá envolvimento? 

Sim. A participação de JK Rowling na série era a principal dificuldade para levá-la às telas: a escritora tem o poder de decidir sobre qualquer uso de sua obra. Esse impasse foi resolvido em 2023.

Rowling e seus parceiros de longa data Neil Blair e Ruth Kenley-Letts são os produtores executivos, então ela deve ter voz nas escolhas da série. David Heyman, que produziu os filmes, também estava em conversas para se juntar ao projeto. A Brontë Film and TV, empresa de Rowling, está fazendo a série com a Warner Bros. A Brontë Film and TV foi criada por Rowling e seu representante literário, Neil Blair, em 2012.

“Eu valorizo o comprometimento de Max em respeitar a essência dos meus livros, e estou animada para participar desta nova versão que possibilitará um nível de riqueza e detalhamento que só uma série de TV longa pode oferecer”, disse Rowling em uma nota.

Desde que a Warners lançou sua plataforma de streaming, sempre existiu a intenção de aproveitar a maior franquia da Warner para o streaming. O presidente da Warner Bros Discovery, David Zaslav, que assumiu o comando após a fusão no ano passado, encontrou-se com Rowling várias vezes no Reino Unido. Ele ainda defendeu a escritora, que está envolta em uma polêmica constante sobre suas opiniões sobre questões transgêneros . Quando perguntado sobre o evento de streaming sobre essas controvérsias, Bloys evitou.

“Não, eu não acho que este seja o lugar [para falar sobre isso]”, disse ele. “Essa é uma discussão muito online, com muitos matizes e complexidades e não é algo que vamos abordar.”

“Nosso foco é o que está na tela”, prosseguiu Bloys. “Claramente, a história de Harry Potter é incrivelmente positiva e afirmativa e fala de amor e autoaceitação. Essa é a nossa prioridade: o que está na tela.”

Sobre o grau de envolvimento da autora na série, Bloys disse: “[Rowling] estará envolvida. Ela é produtora executiva do show. Sua visão será útil nisso.”

Ele deixou claro, no entanto, que a WBD não dependia totalmente de Rowling para o projeto.

“O show de TV é novo e estamos empolgados com isso. Mas, lembre-se, estamos no negócio de Potter há 20 anos. Esta não é uma novidade para nós, estamos muito à vontade em estar no negócio de Potter.”

Quanto custará a produção da série?

“Você sabe que fazemos séries nessa escala com House of the Dragon, Game of Thrones”, disse Bloys. “Imagino que será nessa escala ou superior. A resposta mais curta é o que for preciso para fazer uma série de qualidade.”

De acordo com o relatório da Deadline, House of the Dragon custou quase US$ 200 milhões e foi alvo da maior campanha de marketing de todos os tempos da HBO, avaliada em mais de US$ 100 milhões em gastos com mídia (que é uma combinação de valor de anúncio e dinheiro real investido). Portanto, os fãs podem esperar um gasto semelhante para a série Potter “ou superior”, segundo Bloys, chefe da HBO/Max. 

Haverá outros projetos relacionados a Harry Potter?

“Somos livres para fazer o que quisermos”, disse Zaslav, antes de se esquivar um pouco. “Em algumas áreas, precisamos fazer com JK; em outras, temos plena capacidade de avançar. Esta é uma implantação completa de Harry Potter no Max. Ainda podemos desenvolver outras propriedades.”

Não está claro quais são esses limites, mas é evidente que a Warner Bros. Discovery quer mais Potter. Desde que assumiu o comando da empresa resultante da fusão, Zaslav enfatizou várias vezes seu foco em franquias, com a exploração da propriedade intelectual de Harry Potter sendo uma das principais prioridades.

A Deadline entende que também pode haver a oportunidade de envolver mais de um dos escritores mencionados e que o Max está aberto à possibilidade de desenvolver mais de uma ideia baseada em Harry Potter.

Há quanto tempo isso está em andamento?

Max e sua então controladora WarnerMedia começaram a explorar uma potencial série de TV de Harry Potter há alguns anos. Na época, a Warner Bros. nomeou o presidente de Crianças, Jovens Adultos e Clássicos, Tom Ascheim, para gerenciar as franquias Wizarding World e Potter, que incluem parques temáticos, passeios e a biblioteca teatral de arrecadação de US$ 9,1 bilhões que abrange os títulos Harry Potter e spin-offs de Animais Fantásticos. Sob essa configuração, Ascheim se tornou o representante sênior da WarnerMedia em seu relacionamento com Rowling e seus representantes, e conversas exploratórias para uma série Max começaram.

Após a conclusão da aquisição do Discovery, há um ano, essa unidade foi dissolvida e Ascheim saiu da empresa. No entanto, a importância da propriedade intelectual de Harry Potter só cresceu após a fusão.

Zaslav falou sobre a conexão pessoal de sua família com a série.

“Minha esposa e eu lemos (os livros de Harry Potter) para cada um de nossos três filhos”, disse Zaslav, saindo do roteiro no anúncio de Max. “É realmente comovente, por dez anos consecutivos, as pessoas verão Harry Potter na HBO; quero dizer, é realmente incrível.”

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Os sites Ygor Freitas Hogwarts Brasil agora tem Canais no WhatsApp 

Acesse nossos canais de Notícias e Ofertas para ficar por dentro de todas as Novidades do Mundo Mágico de Harry Potter, Filmes e Séries. Receba também as melhores Promoções e Desconto da Amazon e Shopee

-> Canal de Notícias no WhatsApp 

-> Canal de Ofertas no WhatsApp