Harry Potter: Quirrell era uma Horcrux temporária?


Quirinus Quirrell foi introduzido na série Harry Potter como um personagem de pouca importância - ou até mesmo uma fonte de humor - por causa de sua personalidade tímida e nervosa. Ele era o professor de Estudos dos Trouxas em Hogwarts, mas depois se tornou o professor de Defesa Contra as Artes das Trevas no ano letivo de 1991-1992. No entanto, no clímax do primeiro livro, Harry Potter e a Pedra Filosofal, ele se revelou como um dos vilões da história - e talvez até uma Horcrux involuntária de Lord Voldemort, que estava escondido em seu turbante e controlava suas ações.

Com a face de Voldemort emergindo de sua cabeça, Quirrell se tornou uma Horcrux provisória - e, por isso, não era tão irrelevante como aparentava. Ele foi o responsável por tentar roubar a Pedra Filosofal de Gringotes e de Hogwarts, além de soltar um trasgo na escola e tentar matar Harry Potter diversas vezes. Ele também foi o primeiro a demonstrar a conexão entre as cicatrizes de Harry e Voldemort, que seria crucial para o desfecho da saga.

Quem foi Quirrell em Harry Potter? 

Quirrell era um bruxo mestiço que frequentou Hogwarts, onde foi selecionado para a Casa Corvinal. Ele foi considerado bastante “talentoso”, como é evidenciado por sua habilidade de lançar feitiços não-verbais ou realizar magia sem varinha posteriormente. Porém, ele era um menino “delicado”, que era provocado pelos colegas devido à sua natureza tímida. Isso fez com que ele se sentisse inadequado e, consequentemente, desenvolvesse um interesse pelas Artes das Trevas (a princípio de uma perspectiva teórica) na esperança de poder provar seu valor.

Algum tempo depois de se formar, Quirrell retornou a Hogwarts como o novo professor de Estudos dos Trouxas. Em 1990, ele tirou um ano sabático para viajar pelo mundo e “ganhar experiência em primeira mão”. Quando ele voltou – agora como professor de Defesa Contra as Artes das Trevas – ele parecia ainda mais arisco do que antes. Como Hagrid disse a Harry: “Dizem que ele conheceu vampiros na Floresta Negra e que houve alguns problemas desagradáveis com uma bruxa - nunca mais foi o mesmo desde então. Com medo dos alunos, com medo da própria matéria.”

Ninguém sabia, é claro, que Quirrell tinha saído em busca de Voldemort (ou do que restou dele), “em parte por curiosidade, em parte por aquele desejo não reconhecido de importância desde sua infância”. Ele acreditava que poderia obter reconhecimento por ser capaz de encontrá-lo (o que o Ministério da Magia se mostrou incapaz de fazer), ou poderia aprender certas habilidades com o bruxo das trevas. Ele teve sucesso em sua missão, mas não aconteceu como ele havia imaginado.

Logo, Quirrell ganhou a reputação de ser um professor bastante incompetente, que evitava compartilhar quaisquer detalhes sobre seus supostos encontros com criaturas aterrorizantes. Não só suas aulas acabaram sendo “uma espécie de piada”, mas sua sala de aula também tinha um forte cheiro de alho, que todos acreditavam ser para “afastar um vampiro que ele conheceu na Romênia e tinha medo de voltar para pegá-lo um dia desses”.

No entanto, logo se revelou que Quirrell estava apenas fingindo para frustrar qualquer suspeita enquanto cumpria as ordens de Voldemort. Como afirmou J.K. Rowling, “Quirino era um deus romano sobre o qual não há muita informação, embora seja comumente associado à guerra — uma pista de que Quirrell não é tão manso quanto parece”. Isso mostra que ele era muito mais poderoso do que aparentava. O fato de ele achar que estaria no controle ao encontrar Voldemort demonstra como ele superestimou suas habilidades. Ele também resistiu ocasionalmente quando Voldemort o fez de Horcrux viva, mesmo que isso tenha se mostrado inútil.

Quirrell era uma Horcrux? 

Voldemort transformou Quirrell em uma espécie de Horcrux, como confirmado por Rowling:

"Embora Quirrell não tenha perdido sua alma, ele foi completamente subjugado por Voldemort, que causou uma terrível mutação no corpo de Quirrell: agora Voldemort olhou pela nuca de Quirrell e dirigiu seus movimentos, até mesmo forçando-o a tentar o assassinato [...] Quirrell é, na verdade, transformado em uma Horcrux temporária por Voldemort.

Como Voldemort possuiu Quirrell? 

Em sua busca por fama e conhecimento, Quirrell encontrou Voldemort desencarnado na Albânia, que foi facilmente capaz de dominar o bruxo “tolo e crédulo”, mesmo em seu estado enfraquecido. Ele subjugou o obstinado Quirrell à servidão quando percebeu que ele estava ensinando em Hogwarts. Como Quirrell disse a Harry: 

"Eu o conheci quando viajei pelo mundo. Eu era então um jovem tolo, cheio de idéias ridículas sobre o bem e o mal. Lord Voldemort me mostrou o quão errado eu estava. Não existe bem e mal, existe apenas poder, e aqueles que são fracos demais para buscá-lo." 

Quando Harry conheceu Quirrell, ele apertou sua mão - e como não houve efeitos nocivos depois, sugere-se que Voldemort não possuía Quirrell naquele momento. Foi só depois que Quirrell não conseguiu obter a Pedra Filosofal de Gringotes que ele se agarrou ao seu corpo (tornando-o uma Horcrux) para que pudesse “manter uma vigilância mais próxima”. Com o rosto de Voldemort agora aparecendo na nuca, Quirrell vestiu um turbante roxo para escondê-lo.

Por ordem de Voldemort, ele fez várias tentativas de roubar a pedra e matar Harry. Ele azarou a vassoura de Harry durante uma partida de quadribol para despistá-lo, mas Snape interferiu em um contra-ataque. Hermione ateou fogo nas vestes dele para distraí-lo, derrubando Quirrell no processo e quebrando sua concentração. No Halloween, ele deixou um troll da montanha entrar na escola como diversão, para que ele pudesse tentar roubar a pedra. Ele bebeu sangue de unicórnio para manter vivo o corpo de Voldemort e a si mesmo. Ele estava prestes a atacar Harry na Floresta Proibida uma noite, até que o centauro Firenze o resgatou.

Todo esse tempo, ele convenceu a todos (exceto Dumbledore e Snape) de que era apenas um “coitado” incapaz.

Por que as mãos de Harry queimaram Quirrell?

Disfarçado de traficante de dragões, Quirrell enganou Hagrid para que lhe dissesse como passar pelo cachorro de três cabeças que guardava a pedra. Ele falsificou uma carta do Ministério para Dumbledore, para atraí-lo para longe da escola, e superou todos os obstáculos que protegiam a pedra. Ele só não conseguiu descobrir o último - o Espelho de Ojesed - e foi lá que Harry o encontrou, quando ele próprio chegou às Câmaras Subterrâneas. A pedido de Quirrell, Harry recuperou a pedra do espelho, mas escondeu o fato de que ela estava em seu bolso. Voldemort ordenou que Quirrell o matasse, mas cada vez que tentava tocar em Harry, sofria queimaduras e bolhas horríveis. Dumbledore explicou mais tarde como a proteção sacrificial de Lílian salvou Harry.

"Ele não percebeu que um amor tão poderoso quanto o da sua mãe por você deixa sua própria marca [...] ter sido amado tão profundamente, mesmo que a pessoa que nos amou já tenha partido, nos dará alguma proteção para sempre. Está na sua própria pele. Quirrell, cheio de ódio, ganância e ambição, compartilhando sua alma com Voldemort, não poderia tocar em você por esse motivo. Foi uma agonia tocar uma pessoa marcada por algo tão bom.

Voldemort fugiu bem a tempo e, embora a morte de Quirrell não tenha sido mostrada, ele mencionou em Harry Potter e o Cálice de Fogo que “o servo morreu quando eu deixei seu corpo” — fazendo assim de Quirrell a primeira Horcrux a ser destruída.

Fonte: GameRant 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Os sites Ygor Freitas Hogwarts Brasil agora tem Canais no WhatsApp 

Acesse nossos canais de Notícias e Ofertas para ficar por dentro de todas as Novidades do Mundo Mágico de Harry Potter, Filmes e Séries. Receba também as melhores Promoções e Desconto da Amazon e Shopee

-> Canal de Notícias no WhatsApp 

-> Canal de Ofertas no WhatsApp