O Reboot de Harry Potter não pode ter medo de uma história controversa que os originais cortam


Os filmes de Harry Potter cortaram um enredo controverso dos livros, mas o novo remake da TV não pode ter medo de adicioná-lo de volta à história de Harry. Como muitas peças de ficção das últimas décadas, as perspectivas modernas mudaram a forma como as pessoas olham para a série Harry Potter. Certos aspectos do mundo mágico foram considerados problemáticos ou insensíveis, o que pode significar que a série remake da HBO verá algumas mudanças em relação ao que o público está acostumado. No entanto, alguns tópicos controversos servem como comentários sociais impactantes e podem fazer mais mal do que bem se deixados de lado. 

Entre os elementos problemáticos da série Harry Potter com os quais o remake da HBO terá que lidar, a escravidão dos elfos domésticos está entre os mais controversos. No cânon, os bruxos cresceram entendendo que os elfos domésticos gostavam de servidão, tornando-a boa aos olhos deles. Esta é uma questão óbvia, apenas agravada pelo fato de que apenas uma personagem, Hermione Granger, parecia pensar que isso não estava certo. Ainda assim, havia muito mais sobre esse tópico do que foi visto na superfície de Harry Potter, e pode ser sensato que a nova série de TV mergulhe mais fundo do que os filmes.

O enredo dos elfos domésticos em Harry Potter é divisivo (mas traz pontos importantes) 

Os elfos domésticos certamente foram escravizados nos filmes de Harry Potter, mas a conversa geral sobre se isso era bom ou ruim foi deixada de lado. No final das contas, essa foi a parte mais importante da trama do elfo doméstico, pois a maneira como cada personagem participou desse debate refletiu os diferentes argumentos sobre o fanatismo do mundo real. Apesar de serem bons, personagens como Rony e Hagrid defenderam a escravidão dos elfos domésticos porque era tão normalizada em sua sociedade. Harry sabia que era errado, mas estava apático. Então, Hermione, que reconheceu que a escravidão dos elfos domésticos era imoral, assumiu o perigoso papel de "cavaleiro branco". 

O fato de que os próprios elfos domésticos abraçaram sua escravidão demonstrou como os opressores não são os únicos que sofrem preconceito inadvertido. Os oprimidos podem começar a acreditar nessas coisas sobre si mesmos também – que é precisamente quando o fanatismo é mais perigoso. O debate sobre elfos domésticos em Harry Potter foi desconfortável, mas levantou uma questão mais difícil do que apenas "Isso está certo ou errado?" A conversa pretendia explorar o quão profundamente enraizadas questões específicas estão na sociedade e que encontrar uma solução não é tão fácil quanto escolher ser um herói em vez de um vilão. 

Os filmes de Harry Potter pioraram os problemas dos elfos domésticos ao cortar o SPEW (F.A.L.E).

SPEW: Society for the Promotion of Elfish Welfare (Sociedade para a Promoção do Bem-Estar Élfico)

F.A.L.E: Fundo de Apoio à Liberação dos Elfos.

"Eu ia colocar Pare o Abuso Ultrajante de Nossas Criaturas Mágicas Companheiras e Campanha por uma Mudança em Seu Estatuto Legal - mas não caberia. Então esse é o título do nosso manifesto" Hermione Granger sobre a SPEW.

O movimento SPEW também conhecido como FALE de Hermione nos livros de Harry Potter não chegou ao cinema, o que acabou causando mais danos do que benefícios. Ao mostrar apenas as criaturas escravizadas cuidando alegremente de seus negócios e nunca trazendo à tona as conversas que as cercavam, o comentário social crítico que a trama do SPEW representava foi perdido. Os paralelos sutis estabelecidos pelos livros tornaram-se ainda mais diluídos, e a ideia de que a série Harry Potter sustentava conceitos de escravidão ganhou força. 

Os filmes de Harry Potter muitas vezes reduziram a ambigüidade moral tão presente nos livros. Isso foi visto com as mudanças em Severo Snape, que era, no texto, um personagem tão desprezível quanto um herói. Os filmes simplificaram isso e fizeram de Snape um personagem muito mais trágico e agradável do que o homem infantil e vingativo que ele foi escrito para ser. No final das contas, essa mudança tornou o personagem de Snape muito menos impactante, e o mesmo é verdade para SPEW. Os filmes queriam evitar ideias confusas de moralidade e criaram uma imagem muito mais em preto e branco. No entanto, o mundo nunca é tão simples assim. 

"Você sabe, os elfos domésticos recebem um tratamento muito injusto! É escravidão, é isso! Que o Sr. Crouch a fez subir até o topo do estádio, e ela ficou apavorada, e ele a enfeitiçou para que ela não consiga nem correr quando eles começarem a pisotear as barracas! Por que ninguém faz algo a respeito?" Hermione ao testemunhar os maus tratos a Winki.

Os direitos dos elfos domésticos nunca são resolvidos nos livros de Harry Potter (por uma boa razão) 

O SPEW foi uma organização fundada em 1994 por Hermione Granger em resposta ao que ela viu como uma injustiça grosseira no tratamento dos elfos domésticos na Copa Mundial de Quadribol de 1994. 

O detalhe que tornou a trama do elfo doméstico ainda mais difícil de adaptar aos filmes de Harry Potter foi que o debate nunca foi resolvido. Nunca houve um grande momento em que todos os personagens perceberam que Hermione estava certa e os elfos domésticos foram libertados com alegria. Embora existam algumas indicações de que Hermione estabeleceu com sucesso leis para proteger os elfos domésticos enquanto ela era Ministra da Magia, nunca fica claro se ela estava certa sobre a importância da liberdade. Ainda assim, as respostas estão no subtexto. 

Elfos domésticos como Dobby, Winky e Monstro foram todos usados para mostrar que mesmo aqueles que acreditavam que eram felizes ainda eram tragicamente prejudicados por sua ligação mágica com os feiticeiros. A incapacidade deles de agir contra seus mestres sem se machucar é cada vez mais vista como mais perturbadora - então não há dúvida de que Hermione estava certa ao dizer que era antiético. Ainda assim, ela estava errada em como ela fez isso. Hermione estava procurando uma solução rápida para o SPEW, mas não conseguiu encontrar. Assim como a intolerância não pode ser resolvida da noite para o dia no mundo real, o mesmo é verdade em Harry Potter. 

Um remake de Harry Potter 'fiel ao livro' pode corrigir os equívocos dos elfos domésticos 

Um remake de Harry Potter fiel aos livros está sendo produzido pela Max, o que significa que os fãs terão novamento de ver a dolorosa cena de morte de Dobby. 

O enredo do elfo doméstico nos livros de Harry Potter continuou os temas abrangentes da série de que a ética e a moralidade raramente são preto e branco e que o fanatismo está tão enraizado nas pessoas boas quanto nas más. Ao cortar isso, os filmes tentaram simplificar uma situação complexa, o que resultou em um amplo equívoco que prejudicou a franquia como um todo. Agora, o próximo remake da HBO Harry Potter TV pode esclarecer as coisas, e seu formato mais longo o torna exclusivamente equipado para isso. Haverá muito mais tempo para incluir as nuances do debate e estabelecer melhor as ideias da série sobre a ambiguidade moral. 

Claro, mesmo com uma série de TV, esses paralelos sociais complexos são difíceis de comunicar na tela, e os equívocos de uma década não tornarão isso mais fácil. Portanto, a melhor jogada da franquia Wizarding World pode ser não apenas incluir a controvérsia dos elfos domésticos, mas também adicionar alguma clareza. É essencial que o problema dos elfos domésticos não seja resolvido com muita facilidade, mas ao ver Harry perceber mais abertamente que a escravidão é um problema e ter personagens como Rony chamados pelo viés não intencional, os temas importantes que a série Harry Potter abrange podem ser melhores exploradas. 

A série Harry Potter terá 7 temporadas onde irá adaptar cada um dos livros ao longo de 10 anos. A Previsão de estreia da primeira temporada (Harry Potter e a Pedra Filosofal) é entre 2025 e 2026. 

Fonte: ScreenRant

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem