Header Ads Widget

Agora

6/recent/ticker-posts

Presidente da WB Games defende "direito de opinião" de J. K. Rowling, e Warner declara que não comentará mais o caso


Durante uma sessão de perguntas e respostas interna da companhia, David Haddad, presidente da Warner Bros. Games, defendeu o que classificou como "direito de ter suas opiniões" de J.K. Rowling, autora da série de livros Harry Potter que tem sido criticada por comentários transfóbicos.


A informação foi divulgada por Jason Schreier, jornalista da Bloomberg que teve acesso a um clipe da apresentação de Haddad, e transcreveu um trecho de sua fala após ser questionado sobre o tema.

"Não há muito que eu possa comentar, a não ser que, já que recebemos tantas [perguntas], gostaria de responder da melhor maneira que posso. E a forma que gostaria de fazer isso é fazer eco a algo que vocês ouviram de nossa liderança executiva mais sênior", afirmou Haddad.

"Embora J.K. Rowling seja a criadora de Harry Potter, e estejamos dando vida a isso através da Portkey, em muitos aspectos, ela também é sua própria pessoa. E isso significa que ela tem o direito de expressar sua opinião pessoal nas redes sociais. Posso não concordar com ela e posso não concordar com sua posição em uma variedade de tópicos, mas posso concordar que ela tem o direito de ter suas opiniões", concluiu. Veja abaixo:


Ainda segundo Schreier, o tema de representatividade e inclusão de pessoas LGBTQIA+ voltou à pauta durante a sessão de perguntas e respostas, quando Haddad destacou que a WB Games trabalha com organizações do setor para prover diversidade, mas não voltou a mencionar Rowling.

Rowling tem sido duramente criticada nos últimos anos por declarações consideradas transfóbicas em redes sociais. A mais recente onda de críticas contra Rowling ganhou força em junho, quando a autora ironizou o uso da expressão inclusiva "pessoas que menstruam" em uma matéria. Mais recentemente, Rowling publicou Troubled Blood (Sangue Perturbado, em tradução livre), livro cuja narrativa é centrada em um homem cisgênero que se veste como mulher para cometer assassinatos – o que muitos críticos indicam reforçar e perpetuar esta perspectiva transfóbica.

Por conta dos episódios, Daniel Radcliffe, Emma Watson e Eddie Redmayne, atores da série de filmes inspirados no universo de Harry Potter, se posicionaram contra as falas de Rowling e em defesa de pessoas trans. As declarações de J.K. Rowling também levaram muitos fãs a decidir boicotar seus trabalhos e projetos associados a seus livros – incluindo potencialmente Hogwarts Legacy, já que a autora deverá receber royalties pelo uso de seu universo no jogo.

Envolvida no meio das polêmicas, a Warner Bros. Games afirmou que seu mais recente projeto ambientado no universo da Harry Potter não tem o envolvimento direto de J.K. Rowling. Procurada pelo site Polygon, a Warner declarou que não comentará mais sobre o tema.

Hogwarts Legacy tem lançamento previsto para 2021 e chega ao PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 5, Xbox Series X/S e PC.

Postar um comentário

0 Comentários