Livraria deixa de vender saga de Harry Potter após comentários polémicos de J.K. Rowling

Header Ads Widget

Agora

6/recent/ticker-posts

Livraria deixa de vender saga de Harry Potter após comentários polémicos de J.K. Rowling


Os comentários que J. K. Rowling fez no início do mês de junho sobre transexualidade continuam a dar que falar. Agora é notícia que uma livraria no estado norte-americano do Missouri decidiu retirar das prateleiras todos os livros da saga Harry Potter, a mesma que popularizou a autora britânica.

Segundo o comunicado divulgado pelo responsável do negócio, citado pelo espanhol ABC, à autora foi dado o benefício da dúvida e a possibilidade de tornar mais clara a sua posição, no entanto, “os comentários públicos de Rowling sobre as pessoas transgénero, em particular sobre as mulheres transgénero, são atrozes, ofensivos e deliberadamente ignorantes”. A escritora é ainda acusada de usar uma plataforma de alcance mundial como o Twitter para dar lugar ao “fanatismo” que fica assim mais “perigoso”.

“Como pessoa trans, estou pessoalmente desapontado, magoado e chateado. Eu adorei estes livros. Ainda adoro as histórias e os personagens, mas agora ficou contaminado o que para a nossa família e para a nossa loja foi uma experiência maravilhosa. Ela tornou isso feio ao desumanizar e desvalorizar a minha pessoa, os meus amigos e os meus colegas de trabalho “, escreveu Jarek Steele, responsável pela livraria.


A polémica publicação de Rowling foi feita a 6 de junho, quando a autora chamou a atenção para a expressão “pessoas com menstruação” referida num artigo de opinião e comentou: “Tenho a certeza que costumava haver um nome para essas pessoas. Alguém que me ajude. Wumben? Wimpund? Woomud?“, palavras próximas de “women” — “mulheres” em português.


O assunto parece estar longe do fim e envolve agora o escritor norte-americano Stephen King, isto porque Rowling eliminou um tweet onde elogiava e apoiava King, depois deste ter respondido a um fã afirmando que “as mulheres trans são mulheres”, um comentário de apoio à comunidade LGBT.


Postar um comentário

0 Comentários